Pílula de ânimo aos portadores de transtornos de ansiedade 2



Aceitação de sua situação

É comum existirem sentimentos de vergonha naqueles que sobrem de algum transtorno de ansiedade. Um dos motivos mais comuns desta negação é considerarem esta situação inaceitável. Comum ficarem impacientes com seus sintomas castigando-se, menosprezando-se ainda mais por se encontrarem em tal situação (somos quase sempre os nossos maiores juízes!).


Elas podem pensar: Que bobagem, como sou estúpido! Ninguém tem isso só eu! Não gosratia de passar por isso!  Claro que com estes pensamentos o indivíduo acaba gerando ainda mais ansiedade para si mesmo.

Outros preferem acreditar que têm um problema físico, pois fica mais fácil acreditar na necessidade de "consertar' algo no seu corpo para não passar pelo estigma imputado pela sociedade àqueles portadores de sofrimentos emocionais. Isso pode ser uma barreira no caminho da recuperação.

Todavia pode parecer estranho, mas você não conseguirá vencer o problema sem antes aceitá-lo. Agindo deste modo não significa que está se conformando com o problema, com quem aceita uma derrota, significa apenas que está permitindo ver os problemas como eles são. Sabendo o que está acontecendo com você, desmistifica a situação ajudando a ver seus sintomas como naturais e válidos neste momento. Isto pode levar a uma aceitação positiva, o que pode ajudar a se sentir bem consigo mesmo.

Aceitar suas dificuldades assim como suas qualidades pode ser um grande passo para a sua recuperação. Uma das principais características de quem possui qualquer transtorno de ansiedade é a atitude de evitação. O indivíduo evita objetos e situações como por exemplo insetos (fobias específicas), para evitar que algo ruim aconteça e obedece os rituais ditados pelo seu pensamento (Transtorno obsessivo compulsivo), evita pensar na vida além cena da violência que sofreu (Transtorno estresse-pós traumático), evita viver sem se preocupar-se o tempo todo com tudo (Transtorno de ansiedade generalizada), evita lugares ou situações onde teve o primeiro ataque  de pânico (Transtorno de pânico) evita também falar em público e relacionamentos pessoais (fobia social).

É possível aprender a lidar com emoções negativas aceitando-as. Tal atitude coloca você em melhor condição para enfrentar os problemas diretamente de modo positivo. Aceite seus dias ruins e comemore os bons que podem aumentar com o tempo.
Referência 
Sheehan, Elaine - Ansiedades, fobias e síndrome do pânico. Editora  Ágora 2000.
Silva, Ana Beatriz B. - Mentes ansiosas: medo e ansiedade além dos limites. Fontanar 2011.

Comentários