OS DESFOCADOS: QUASE 20 ANOS DEPOIS DA "INTELIGÊNCIA EMOCIONAl", DANIEL GOLEMAN LANÇA LIVRO ALERTANDO PARA O FATO DE QUASE NINGUÉM PRESTAR ATENÇÃO EM PRESTAR ATENÇÃO



Maíra Amorim

Existem três tipos de foco: interno, externo e o foco no outro. O problema é que, com cada vez mais tecnologias e informações interrompendo o fluxo do trabalho, quase ninguém presta atenção em prestar atenção, e a falta de foco atinge mais e mais profissionais. Foi por esse motivo que - 19 anos depois de lançar "Inteligência emocional" e popularizar o conceito que orienta departamentos de recursos humanos até hoje - psicólogo americano Daniel Goleman escreveu "foco" (Editora Objetiva). Em conversa pelo telefone com o Boa Chance, Goleman conta que a preocupação com a falta de foco da atual geração o levou a investigar a questão.



Goleman reconhece que, diante de tantas distrações trazidas por redes sociais, smartphones etc., está cada vez mais difícil conseguir se concentrar. E, como consequência de uma geração que interage mais com máquinas do que com pessoas, diz, as empresas precisam ficar mais atentas e passar a ensinar seus funcionários a se concentrar mais no que estão fazendo.

1. NÃO DAMOS A DEVIDA ATENÇÃO À ATENÇÃO

"Há um paradoxo sobre a atenção: Não prestamos muita atenção a ela. O conteúdo da nossa atenção costuma estar voltado para aquilo em que estamos pensando, à tarefa que estamos realizando, aos nossos objetivos, mas nunca à atenção em si. Pode soar estranho, mas não prestamos atenção à atenção".

2. UMA ESPÉCIE DE MÚSCULO MENTAL

"Há duas formas de nos tornarmos mais conscientes sobre a necessidade de prestar atenção e sermos mais focados. a primeira é, justamente, se dar conta dessa necessidade de prestar atenção, o que pode nos motivar. A segunda é aprender a se tornar mais atento. Há uma palavra em inglês, mindful, que significa prestar atenção no presente, e é uma estratégia mental para estar consciente de onde sua atenção está em determinado momento. É algo que pode ser melhorado. A atenção é como um músculo na mente: precisa ser fortalecido".

3. NÃO HÁ COMO AVALIAR O OUTRO NUMA ENTREVISTA

"Em uma entrevista de emprego, não necessariamente o entrevistador é capaz de dizer se um candidato é capaz de dizer se um candidato é atento e focado o suficiente. Talvez possa perceber que ele é muito distraído, mas nas entrevistas, raramente as pessoas estão distraídas: costumam prestar bastante atenção porque querem aquela vaga. Para saber melhor como a pessoa se comporta o ideal é conversar com ex colegas, que possam falar sobre sua capacidade de concentração. E isso é válido para qualquer traço de personalidade que esteja sendo avaliado. Na entrevista de emprego, o candidato mostra o seu melhor lado, mas também a empresa quer conhecer seu lado pior e seu lado normal - só que isso ninguém vai falar. Eu certamente falaria (risos)."


4.  TODOS NÓS, DE ALGUMA FORMA SOMOS LÍDERES

"Eu vejo todos como líderes, já que todos têm algum tipo de influência em algum círculo, seja ele familiar, profissional ou acadêmico. Todos nós exercemos algum tipo de influência e é isso o que a liderança realmente é. Mas existem os líderes que são designados, aqueles em quem pensamos quando falamos a palavra "líder". E todos esse líderes precisam ter ou desenvolver os três tipos do foco que existem".

5. TRÊS TIPOS DE FOCO, TODOS COM A MESMA IMPORTÂNCIA

"O primeiro é o foco interno, que ajuda a gerenciar a si próprio, a se manter focado, a trabalhar por seu objetivos e a impedir que as emoções e o estresse atrapalhem o trabalho. O segundo é o foco no outro: em quem está ao seu redor, em quem trabalha com você, e que ajuda a se relacionar com eles. E o terceiro é o foco externo: entender o sistema, a dinâmica de trabalho da sua empresa, o que acontece no seu setor de atuação, na sua cidade e na economia, as novas tecnologias. São todos os sistemas que importa . E não há um tipo de foco que seja mais importante que o outro: Você precisa dos três em momentos diferentes.".

DANIEL GOLEMAN: "A MENTE NÃO É CAPAZ DE SER MULTITAREFA"

TECNOLOGIAS ATRAPALHAM NOSSA CAPACIDADE DE FOCO, DIZ AUTOR

Para Daniel Goleman, a tão falada capacidade de ser "multitarefa" que caracteriza a geração Y não passa de uma ilusão. O psicólogo explica que, na verdade, a mente só consegue se concentrar em uma coisa  de cada vez e, ao trocarde foco o tempo todo, o profissional acaba demorando mais tempo para conseguir se concentrar.

Sendo assim, continua Goleman, as organizações, além de ensinarem seus profissionais, podem passar a disponibilizar espaços que contribuam para a produtividade.

6. EMPRESAS TERÃO QUE EDUCAR OS JOVENS

" Acredito que as empresas terão que ser mais ativas para ajudar a nova geração de profissionais a prestar atenção da melhor maneira possível. As companhias talvez tenham que começar a ensinar a seus profissionais habilidades de atenção e concentração. Você tem um candidato que é muito forte, mas que não é muito bom em se concentrar, por exemplo, a coisa mais inteligente a se fazer é contratá-lo e ajudá-lo a desenvolver e fortalecer essas capacidades".

7. MENTE NÃO É CAPAZ DE SER MULTITAREFA

" Ser multitarefa é uma ilusão. a mente não é capaz de ser multitarefa: só foca em uma coisa de cada vez. O que chamamos de multitarefa é trocar rapidamente o foco de uma coisa para outra. O problema é que, se você está fazendo o seu trabalho e, de repente, troca o foco para algo diferente do original, haverá vários minutos até conseguir recuperar o nível total de concentração em que estava antes. Mas claro que isso é mais difícil do que nunca, hoje em dia. Porque vejo a atenção e o foco como capacidades mentais que estão sendo tomadas pelas novas tecnologias. Precisamos melhorar nossa habilidade de prestar atenção".

8. MEDITAÇÃO AJUDA NA CONCENTRAÇÃO

" Eu tento organizar o meu dia de trabalho de forma a ter um longo período, na parte da manhã, no qual eu não faço nada, não checo e-mails e não vejo mensagens no celular, de qualquer forma (risos). Todo dia de manhã eu medito, o que ajuda a fortalecera minha concentração e, depois, escrevo. Em seguida ao almoço, faço as outras coisas, como por exemplo responder e-mails. Criei espaços de tempo nos quais posso trabalhar de forma mais eficiente e concentrada. Eu realmente. Eu realmente recomendo que as pessoas façam isso e que os gestores atentem também para esta questão específica".

9. SALAS DE MEDITAÇÃO E SONECA AJUDAM

"Algumas empresas, como o Google, por exemplo, tem salas de meditação, outras têm espaço para soneca - a soneca é diferente, mas também ajuda na concentração. É uma estratégia inteligente a ser adotada e pode, inclusive, se tornar mais comum no futuro, à medida que as companhias forem se dando conta do poder do cérebro das pessoas".

Fonte: O Globo

Comentários