Alta performance: em time que está ganhando...podemos mexer sim!



Já em clima de Copa do Mundo, muita gente associa a frase futebolística "em time que está ganhando não se mexe" ao nosso dia a dia, na vida pessoal ou no trabalho. Mas na Gestão de Pessoas esta máxima perde o valor em um panorama de mudanças e desafios constantes. A tendência de "mexer em time que está ganhando" sobretudo em empresas de destaque em seus segmentos, vem ganhando a atenção dos líderes de RH.


Gente como Lineu Takayama, diretor de RH da MAN Latin America. Executivo com diversificada experiência em processos de transformação, ele considera que o empregado sempre ganha com mexidas realizadas quandos os resultados vão muito bem, pois adquire conhecimentos e perspectiva de crescimento na organização. "Nos úlitmos anos, temos ousado em mexidas estratégicas que despertaram nas pessoas a percepção de que a carreira delas não está restrita à àrea de atuação", informa Lineu.

"VERSATILIDADE"
Ele cita o exemplo de um profissional que atuou por vários anos em sua área, apresentando desempenho acima da média. Segundo o diretor de RH, era comum os gestores de área não abrirem mão de seus melhores profissionais.  "Contudo, durante a discussão no Comitê de Carrreira, foi decidido que ele deveria ser movimentado para a sua área cliente. A movimentação foi tão bem-sucedida que este profissional foi promovido em pouco tempo", conta.

Na MAN, se as coisas vão muito bem, nada como uma mexida para ficarem melhores ainda. " A versatilidade é fundamental para o sucesso do empregado" sintetiza Lineu. Contribuem para a eficácia dessa mexida ferramentasl como Avaliação de Desempenho. Avaliação 360°, Plano de Desenvolvimento Individual, Comitê de Carreira, Plano de Sucessão, Job Rotation, entre outros. Não à toa, em 2013, a a´rea de RH da MAN Latin America foi Campeã em Práticas de RH do Anuário Época Negócios 360°.

Reforça o trabalho do RH da MAN Latin America o entendimento de que é importante tirar as pessoas da zona de conforto, estimulando-as a se renovar. É justamente esse sentimento que também ganha corpo na Gestão de Pessoas da Ancar Ivanhoe Shopping Centers, asssim como a MAN, uma empresa que em 2013 está no topo da lista das Melhores Empresas para Trabalhar do Great place to Work e ABRH-RJ*.

"ENVOLVER O TIME"
"Parece incoerência qualquer tipo de movimentação em um time que apresenta excelentes resultados, porém justamente nesta hora devemos ficar atentos para não entrar na zona de conforto e perder o timing da mudança. Buscamos potencializar e despertar o melhor das pessoas criando um ambiente que desafie e motive para a superação", afirma Léia Cardoso, gerente de RH da Ancar. Ela acrescenta ainda que um bom líder não deve se contentar apenas com a entrega do resultado, mas em desenvolver pessoas que deem o melhor de si, tendo em vista o que o mercado sinaliza.

Na Ancar, mesmo quando os números apontam para o crescimento, as mexidas não param: trnaferências de executivos entre shoppings e redução de níveis gerenciais trazendo novos executivos do mercado são apensas uma delas. Léia admite que houve resistência das lideranças a estas mudanças, mas a construção de práticas que reconheçam o erro como aprendizado contribuiu para sensibilizá-los.

"Uma das estratégias para que essa mexidas não causem insegurança é sempre trabalhar de maneira transparente e envolver o time na construção desta mudança. Só é possível ter alta performance se houver a contribuição de todos; os resultados não serão atingidos se os colaboradores não tiverem autonomia para tomar as decisões e serem parte integrante", finaliza a gerente de RH.

Com as grandes lições que as empresas estão mostrando é possível que alguns treinadores de futebol até repensem se de fato é melhor "não mexer em time que está ganhando".

Fonte: Boa Chance/ ABRH-RJ

Comentários