Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2017

CELEBRANDO TOM JOBIM: CHOVENDO NA ROSEIRA

Imagem

ESTAR NO CONTROLE: VOZ ATIVA E PASSIVA. GOTAS

Imagem
O controle não é permanentemente controlável.

Regina Bomfim

POESIA: OS "FANTASMAS" DE NOSSAS NOITES INSONES

Imagem
O morcego

Meia-noite. Ao meu quarto me recolho. 
Meu Deus! E este morcego! E, agora, vede: 
Na bruta ardência orgânica da sede, 
Morde-me a goela igneo e escaldante molho.

"Vou mandar levantar outra parede..."
— Digo. Ergo-me a tremer. Fecho o ferrolho
E olho o teto. E vejo-o ainda, igual a um olho,
Circularmente sobre a minha rede!

Pego de um pau. Esforços faço. Chego
A tocá-lo. Minh'alma se concentra.
Que ventre produziu tão feio parto?!

A Consciência Humana é este morcego!
Por mais que a gente faça, à noite, ele entra
Imperceptivelmente em nosso quarto!
 ANJOS, A. Eu e Outras Poesias. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.

O SIGNIFICADO DA EXISTÊNCIA: ONTEM. E HOJE?

Imagem
"É muito comum as pessoas interrogarem a respeito do significado das suas existências, tão acostumadas estiveram por múltiplas gerações a lhe serem imposto o mesmo.

DICA CULTURAL

Imagem
Uma dica cultural: Não é que a tal da sincronicidade existe? Postando no blog está semana sobre o valor da escrita, acabei descobrindo um evento mega interessante. Para quem está no Rio, a Caixa Cultural exibe do dia 3 a 15 de janeiro filmes feitos com base em diarios, com entrada gratuita além de palestras, oficinas e outros eventos para tratar sobre este tipo de narrativa e suas variações. São 3 a 4 filmes exibidos por dia - O nome do projeto é DIÁRIOS. O espaço é ótimo, além de também ter exposições, teatro, essas coisas que vocês sabem "que eu quase não amo"!rsrsrsrs. Vi um filme lindo - Vida de Menina. Voltei pra casa feliz, feliz. Detalhes no site:
www.caixacultural.org.brPeço desculpas por possíveis erros. Testo o aplicativo.

PSICOLOGIA, SAÚDE E PREVENÇÃO = NÃO DEIXAR ACUMULAR. SUGESTÕES.

Imagem
Como disse, ao longo da minha vida e até hoje costumo escrever sobre o que sinto. Tal prática me ajudou e ajuda até hoje.  Levo algumas vezes meus escritos para a terapia. Isso sempre me ajudou a entender algumas coisas e me organizar evitando, em certos momentos, até atos impulsivos, além de trazer um bem estar por me ver em busca de uma intimidade maior com quem sou.