O MUNDO PRECISA DE MENSAGENS POSITIVAS: UM TOQUE DE ARTE

Não se incomode O que a gente pode, pode O que a gente não pode explodirá A força é bruta E a fonte da força é neutra E de repente a gente poderá
Realce, realce Quanto mais purpurina melhor Realce, realce Com a cor-do-veludo, com amor Com tudo de real teor de beleza Realce, realce, realce, realce Realce, realce, realce, realce
Não se impaciente O que a gente sente, sente Ainda que não se tente afetará O afeto é fogo E o modo do fogo é quente E de repente a gente queimará
Realce, realce Quanto mais parafina melhor Realce, realce Com a cor-do-veludo, com amor Com tudo de real teor de beleza Realce, realce, realce, realce Realce, realce, realce, realce
Não desespere Quando a vida fere, fere E nenhum mágico interferirá Se a vida fere Com a sensação do brilho De repente a gente brilhará
Realce, realce Quanto mais serpentina melhor Realce, realce Com a cor-do-veludo, com amor Com tudo de real teor de beleza Realce, realce, realce, realce

Não sei bem qual é o público que lê o blog. Ainda não fiz este estudo. Pode ser que vocês l…

CARIOQUICES: AI, EU CHORO...




Tinha um post já pronto, mas não poderia deixar de fazer referência aos 120 anos de Alfredo da Rocha Vianna Filho, o Pixinguinha (1897-1973) que faria aniversário no dia 23 de abril - data que se comemora o dia do Choro com eventos diversos que aconteceram aqui no Rio de Janeiro.

Pixinguinha, compositor, exímio instrumentista (flauta e depois saxofone), arranjador e maestro, foi genial no seu ofício, que na sua obra musical competente e inspirada, revolucionou.

Ele consolidou o Choro, ritmo tipicamente carioca como um estilo musical sendo responsável por inovações que inspiraram e influenciam a muitos. Foi um compositor emblemático,  à frente do seu tempo cujo auge foi no início e meados do século passado.


PIXINGUINHA NÃO É SÓ CARINHOSO
Não sou especialista. A ideia é convidar todos a um mergulho em nossas preciosidades um pouco escondidas.  A todos que se interessarem em conhecer, pesquisar a extensa obra deste que todos admiravam também pela bondade e simplicidade. Sua obra até hoje impressiona músicos e pesquisadores ao redor do mundo pela excelência e sensibilidade. O Instituto Moreira Sales é um Centro Cultural com um vasto acervo sobre Pixinguinha.

Lembrar Pixinguinha é agradecer por viver no Brasil, terra tão pródiga em talentos na música. Como vocês sabem, eu adoro. Apesar de todos os pesares, temos muitas coisas lindas no Brasil. Temos música muito boa.

Escolho para reverenciar o mestre a música Lamento. Ela ficou engavetada por um tempo e sofreu alterações sendo por ele reescrita algumas vezes. Vinícius de Moraes se ofereceu para colocar a letra. Vamos ver instrumental com o tradicional conjunto Época de Ouro onde tocou o imortal Jacob do Bandolim.

Quem curtir e souber de curiosidades, pode comentar, vou adorar saber!



Comentários