sábado, 31 de maio de 2014

FIZ UM BOM NEGÓCIO





Fonte: Revista O Globo
Martha Medeiros

Viva a filosofia popular, que pode ser extraída até mesmo de uma propaganda de tevê. Ainda que seja bizarro ver o Sergio Mallandro, o Supla, a Narcisa Tamborindeguy e o Compadre Washington decapitados em cima de máquinas de lavar, carrinhos de bebê e aparelhos de som, a ideia é boa. Desapega, desapega.

Você tem feito um bom negócio?

sábado, 24 de maio de 2014

PADRÕES

 


Padrões

Do momento do meu nascimento
Ao instante da minha morte
Tem padrões que devo seguir.
Assim como eu devo respirar cada respiração
Como um rato num labirinto
O caminho diante de mim se estabelece
E o padrão nunca se altera
Até o rato morrer.
E o padrão ainda permanece
Na parede onde a escuridão caiu
E se ajusta como deveria
Porque na escuridão eu deveria ficar
Como a cor da minha pele
Ou o dia em que cresci
Minha vida é feita de padrões
Que dificilmente podem ser controlados.

Paul Simon, Poeta


domingo, 18 de maio de 2014

SOBRE A MORTE E O ENVELHECER: SOBRE A VIDA "VIAJANTE"


"O QUE IMPORTA É NÃO ESTAR VENCIDO."
Ney Matogrosso





"O que importa é não estar vencido"
(Ney Matogrossso)

sábado, 17 de maio de 2014

AS PESQUISAS NÃO FALAM O QUE IMPORTA

O blog PSICOLOGIA EM FOCO sempre provocará a reflexão em diferentes perspectivas por isso trouxemos esta entrevista.



"Tenho 47 anos, nasci num lugar muito pobre, o que aqui vocês chamam de favela. Moro em Nova York com minha mulher e dois filhos. Virei cientista, estudei as drogas e seus efeitos, inclusive os sociais. E estudo as pessoas mais pobres que são afetadas pelas políticas públicas antidrogas"

Entrevista com Carl Hart, neurocientista americano - Professor de psiquiatria na Universidade de Columbia (EUA). Veio ao Brasil para lançar o livro "um preço muito alto" e dar palestras no Rio.

Por Bruno Agostini
Fonte: O Globo

Mas você sustenta isso há um bom tempo. Li muitas coisas a seu respeito antes de vir para a entrevista...

Bom trabalho. Então vou te dizer algo que é importante para o Brasil. Eu encontro regularmente pessoas que não sabiam disso e dos problemas que levam ao crack. A sociedade diz que essa droga é uma praga, um grande problema. Mas não. O perigo é a pobreza, a miséria e a falta de perspectiva.

Mas pesquisas dizem que as drogas causam danos ao cérebro. Como a sociedade pode tratar do assunto de forma educativa, socialmente responsável, preservando a saúde das pessoas?

A sua pergunta é retórica. Mas as pesquisas não falam o que importa. Drogas causam danos cerebrais se consumidas em quantidades muito altas. A nicotina que é legal, é a droga mais danosa ao cérebro se consumida em pequenas quantidades. Com apenas 15 mg é possível haver danos. Já se alguém usar 15 mg da cocaína, crack ou heroína vai só ficar high, só ficar doidão.

No Brasil, muitos crimes são associados ao consumo de drogas como o crack...

Poucos usuários cometem crimes, e eles já os cometiam ou mesmo cometeriam, mesmo sem o consumo de drogas. A culpa é da pessoa, e não da droga.

E os seus livros? O que você quer com eles?

Quero mostrar que as pessoas foram enganadas, que muito do que se diz sobre as drogas, moradores de rua, indigentes e marginais, não é verdade. Quero mostrar que as pessoas que nasceram na favela podem ser bem-sucedidas, ter progresso na vida.

Qual a sua missão em termos profissionais?

Se eu tenho alguma missão, essa é fazer justiça social. entender parcelas consideráveis da população, gente eque sofre. Justiça social significa ver as pessoas fora da pobreza, que todos tenham oportunidades iguais. Agora estava num encontro com o movimento negro, e eles me deram uma informação impressionante. Dos 513 deputados federais do Brasil, apenas 7% são negros, sendo que esses representam 51% da população.

Por que negros não votam em negros?

Existem candidatos negros? Não existem. Bem como não existem quantidades significativas nas universidades.

O momento é historicamente importante para falar de drogas. Vários países estão debatendo a legalização da maconha, por exemplo.

Sim, mas falo de algo que é maior do que a maconha. Os debates sobre legalização envolvem apenas maconha. Mas a verdade é que esta droga não é um problema, nem no Brasil, nem em outros países. O tráfico de drogas, e crimes associados a ele, sim. Qual o sentido de se prender alguém porque fumou maconha? Isso é crime? Mas o Estado prende, e prende os mais pobres, subjugando as pessoas.

Qual é a sua mensagem aos brasileiros?

Antes de julgar as pessoas, coloque-se no lugar delas. Pense: se você não tem trabalho nem perspectiva, se você não tem condições de cuidar da sua família, o que você faria?

Essa é a sua primeira vez no Brasil?

Sim, a primeira, mas não a última, quero voltar muitas outras vezes. Tenho interesses no país.

domingo, 11 de maio de 2014

PSICOLIRISMO DA TERAPIA COTIDIANA: Rita Moutinho






Um livro que simplesmente devorei... O Título da postagem é o do livro que extrai poesia das sessões de terapia.. Mais do que recomendo. É uma leitura deliciosa e densa pela carga das emoções e pela beleza no emprego das palavras. Há um rigor formal e também entrega... Que todos nós possamos transformar a dor em música e poesia. A psicoterapia pode ser entendida como uma viagem de múltiplas paisagens, com "sóis e temporais" cujo destino é a libertação de si mesmo como autonomia e responsabilidade frente às suas escolhas nos bons e maus momentos. É um belo investimento de ser o melhor de si para os outros.
Regina Bomfim


Soneto da Dúvida nas Águas

Os dois remos parecem adormecidos
na travessia lenta para a cura,
e meus lábios molhados de gemidos
pingam máculas mis. Você se acura, 
leva-me a perdoar certos pecados
trazendo lassidão à amargura
Outros ainda me pesam represados
- Não abri as comportas da censura
As culpas, cracas fixas no meu casco,
não me deixam chegar à embocadura
da vida aquosa, que tolhida em frasco,
fez me revolto oceano sem ondula
Ah, quando poderei sã navegar
se sou a um só tempo barco e mar

sábado, 10 de maio de 2014

O EMPREENDEDOR QUE COMEÇA AOS 50 ANOS



Maior expectativa de vida do brasileiro favorece novos negócios
Fonte: Boa Chance

Quando se fala em empreendedorismo, as gerações X e Y logo são lembradas. Não é para menos. Segundo o Sebrae, 41,8% das empresas com menos de três anos e meio foram abertas por pessoas entre 25 e 44 anos, faixa etária característica desses dois grupos. No entanto, o crescimento do número de empreendedores no país (421% entre 2007 e 2013) é acompanhado pela maior inserção de uma geração mais madura que diferentemente do que muitos imaginam, não está disposta a se aposentar: são os baby boomers que nasceram entre 1943 e 1964, na explosão populacional do pós-guerra.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...