Pular para o conteúdo principal

Postagens

AS SEGUNDAS DE JULHO: RETICÊNCIAS

POST S DO BLOG - MÊS DE JULHO, MÊS DAS RETICÊNCIAS: RETICÊNCIAS?  (Quando vi, os posts conversavam entre si)
Cada um sabe dos silêncios que carrega. São como reticências. 
São reticências o nó na garganta, o aperto no coração ou quando ele dispara, uma coisa estranha, que vem do nada... 
A lembrança de um cheiro bom, um lugar, alguém querido...
Reticências podem ser suspiros endereçados ao Vento. Silêncios de saudade...
Reticências de lembranças que abraçam, perfumam a alma por um instante. E se vão...
Os posts do blog são sempre às segundas-feiras (ou quando vem...). Acompanhe, comente.
Cuide-se. Escreva sobre o que sente. Se precisar de ajuda profissional, procure.
Regina Bomfim 

Postagens recentes

PANDEMIA E SAÚDE MENTAL

PANDEMIA E SAÚDE MENTAL 
Em essência somos adaptáveis/resilientes. A evolução do ser humano no Planeta atesta isto.
ANSIEDADE, DEPRESSÃO, IRRITABILIDADE, INSÔNIA... Há pessoas vivendo o isolamento social, imposto pela pandemia por causa da  falta de uma vacina ou medicamento seguro, com muito sofrimento. 
O adoecer psíquico ocorre porque em algum momento este mecanismo adaptativo falhou. E isto também é parte do humano.
É preciso que a sociedade, o mundo considere o adoecer psíquico um fato da existência, como algo que pode acontecer assim como quebrar uma costela,  ter uma alergia etc. Ainda é preciso ser didática. Sim, ainda é preciso ser simples...
Muito antes da pandemia, ansiedade e depressão já avançavam no mundo de modo alarmante.
O estresse em alto grau e suas consequências também já são há tempos uma realidade aceita pela ciência, não apenas do comportamento.

SAÚDE MENTAL E POLÍTICAS PÚBLICAS: FORTALECER A RESILIÊNCIA  É importante que os cuidados em saúde mental seja para TODOS. É  f…

SE DÊ UM DESCONTO

Se dê um desconto. Não se condene tanto... Sem perceber estamos com uma arma apontada em nossa cabeça e somos nós que a apontamos algumas vezes.
Regina Bomfim

BRILHO PESSOAL

BRILHO PESSOAL
Pode ser que eu esteja falando a "maior besteira do Universo", por isso não encarem o que vou dizer como uma análise de perfil psicológico ou qualquer coisa do gênero.
Uma declaração de amor - é mais uma declaração de amor mesmo - por todo o legado que este gênio chamado Michael Jackson deixou.
Escolhi uma canção meio Lado B (mas quem é charmeiro/a como eu, sabe rs) do Antológico álbum Thriller (Michael Jackson e o não menos genial produtor Quincy Jones). Tudo foi sucesso nesse disco de muitos recordes. Dance...rs. Amo.
As coisas que este menino  alcançou no mundo foram imensas para um artista. Há tantas histórias nas artes de genialidades que se perderam tendo um fim de vida decadente. Ou não.
Michael Jackson, na minha opinião de quem olha de longe, foi uma alma perturbada que de um "modo torto" olhou para o seu grande talento e percebeu ser capaz de ter todo amor que lhe faltava.
E assim, "engoliu o choro" e seguiu em frente impressionando a to…

POR FERNANDO PESSOA: POR QUE POESIA?

Álvaro de Campos Cruzou por mim, veio ter comigo, numa rua da Baixa
Cruzou por mim, veio ter comigo, numa rua da Baixa
Aquele homem mal vestido, pedinte por profissão que se lhe vê na cara
Que simpatiza comigo e eu simpatizo com ele;
E reciprocamente, num gesto largo, transbordante, dei-lhe tudo quanto tinha
(Excepto, naturalmente, o que estava na algibeira onde trago mais dinheiro:
Não sou parvo nem romancista russo, aplicado,
E romantismo, sim, mas devagar...).
Sinto urna simpatia por essa gente toda,
Sobretudo quando não merece simpatia.
Sim, eu sou também vadio e pedinte,
E sou-o também por minha culpa.
Ser vadio e pedinte não é ser vadio e pedinte:
É estar ao lado da escala social,
É não ser adaptável às normas da vida,
Às normas reais ou sentimentais da vida —
Não ser Juiz do Supremo, empregado certo, prostituta,
Não ser pobre a valer, operário explorado,
Não ser doente de uma doença incurável,
Não ser sedento de justiça, ou capitão de cavalaria
Não ser, enfim, aquelas pessoas sociais dos novelistas

SOBRE BOMBAS, GUERRAS E MEDALHAS

SOBRE BOMBAS, GUERRAS E MEDALHAS
Uma bomba explode na vida (perdas, decepções...) e aí começa a guerra. Com a alma em frangalhos não resta outra alternativa senão lutar.
A luta vem porque há pessoas para cuidar... A luta vem por se ver sozinho (a) no "front de batalha" e é preciso se transformar num exército de um homem/mulher só.
Mesmo com muitos ferimentos na alma é preciso seguir lutando...
Muitas vitórias alcançadas depois e a descoberta de uma grande capacidade de reação, mas os ferimentos da bomba que explodiu e das batalhas seguem doendo, apesar de tantas medalhas conquistadas.
Aos olhos do mundo um herói/ uma heroína, mas dentro de si a dor, confusão e a miséria  que a alma ainda não digeriu. Regina Bomfim

A ARTE DE VIVER: UMA BUSCA

"A arte de viver neste período é igual ao modo que se vive no teatro, onde ciltivamos a vida, recebendo-a e transformando-a: é uma 're-existência'. Diante dessa grande crise global, temos que reinventar a vida. Precisamos ritualizá-la para criar a inda mais vida e vencer a peste com uma peste maior, que é viver heroicamente a vida e a morte. E também cagadamente, porque ninguém é perfeito". José Celso Martinez, dramaturgo, encenador