Pular para o conteúdo principal

Postagens

OS VENDAVAIS DA VIDA: PACIÊNCIA E AMOR

  OS VENDAVAIS DA VIDA: PACIÊNCIA E AMOR Os tempos têm sido ásperos, por tantas coisas... A Vida tem convites, Ela continua convidando o Homem a conversar com o macro (mundo) e com o microcosmo (alma). São convites para reexaminar Propósitos. Ainda somos movidos a tempestades, furações, epidemias, ainda precisamos de sinais tão fortes para as urgências do Mundo que também são as exigências da alma. Alma e mundo são divisões apenas didáticas porque tudo sempre é ao mesmo tempo. O macro nasceu de uma alma pensante que se conectou a tantas almas e deu ao Mundo a forma que é vista. É, precisamos ainda de vendavais. Quantos ainda serão necessários? Caminhos. Não existe nenhuma palavra ou ação que mova, mude rumos. Há palavras, atos que apenas ecoam no vento. Bate e volta... Mas ainda existem os furações, os vendavais, as calamidades mesmo que depois  "esfriem" no seu impacto para alguns, mesmo assim, há a Vida e seus pacientes convites. A Vida tem uma paciência, a Vida tem um Amor
Postagens recentes

CAMINHO

  SOLIDÃO E O ERRO . São medos que habitam alguns. Sentimentos são vivos e pulsantes para quem os sentem. São caminhos. Saber é mais fraco do que sentir. Quando se trata de emoções, saber analisar um sentimento e concluir sua bobagem é caminho. Sentir parece quebrar toda a "lógica" porque o sentimento é sentido e pronto! O sentimento é sentido. É caminho. Por isso suponho que lutar contra o sentir seja sempre uma batalha perdida, mesmo usando os mais hábeis recursos que toda inteligência é capaz de produzir. Criar mecanismos para suportar a dor mesmo que se mostrem frágeis em algum momento, também é caminho.  Se sentir como se sente, mesmo racionalmente vendo com seus próprios olhos que é "tolo" o que sente, é caminho.    Saber e sentir seguem assim, complexos em suas utilidades e ações na mente humana.  Se sentir ridículo por sentir o que sente, pode indicar que começou a abrir portas valiosas de percepção de si mesmo. Há ainda tantas pessoas imersas numa vida apen

O MELHOR LUGAR DO MUNDO

O MELHOR LUGAR DO MUNDO É desafiador estar no presente de corpo e alma.  Boa parte do tempo a opção é por estar em lugar nenhum, pois o "já foi" do passado e o "ainda não" do futuro são assim.  Aí eu não tenho mais nada a escrever para dar um fim a este texto, porque é exercício. Eu não sei... Deixo Gil dizer...  Regina Bomfim AQUI E AGORA O melhor lugar do mundo é aqui E agora (bis) Aqui onde indefinido Agora que é quase quando Quando ser leve ou pesado Deixa de fazer sentido Aqui de onde o olho mira Agora que ouvido escuta O tempo que a voz não fala Mas que o coração tributa O melhor lugar do mundo é aqui E agora (bis) Aqui onde a cor é clara Agora que é tudo escuro Viver em Guadalajara Dentro de um figo maduro Aqui longe em nova deli Agora sete, oito ou nove Sentir é questão de pele Amor é tudo que move O melhor lugar do mundo é aqui E agora (bis) Aqui perto passa um rio Agora eu vi um lagarto Morrer deve ser tão frio Quanto na hora do parto Aqui fora de perigo A

UM DIA..

  QUE UM DIA... A vida que se apoia no futuro, nos ideiais, tira muito do alvo que é viver no presente. Nossa! Falar em viver o presente é quase como sair numa missão pelo mundo, tipo todos esses filmes fantásticos, em busca de um objeto valioso... Tanto se fala, pouco se sabe e experimenta. Mas a vida segue nos seus dias que ensinam para os atentos e desatentos (que somos). Cada vez mais creio que a maturidade é um estado de atenção capaz de permitir que cada um desfrute de sua existência de modo cada vez mais intuitivo, simples, leve, natural. E nesta trilha que seja possível um dia se divertir com o fato de ser alguém único. Quando ouço o canto dos pássaros, o barulho do vento balançando as folhas das árvores e tantas cores que chegam aos meus olhos, penso que os sons e imagens que vejo e ouço, falam da diversidade, da singularidade como uma Lei da Natureza... No caminhar da Humanidade parece ter sido uma das leis mais desrespeitadas, o que acaba por produzir muito sofrimento de to

INDIFERENÇA E RELAÇÕES ABUSIVAS:

 Ele é o cara que não grita, não xinga, não bate, mas quando você ameaça sair do "script criado por ele" como estudar, trabalhar, viajar, sair com os amigos, sair sozinha etc, ele deixa de falar com você, começa a ficar reservado, silencioso, indiferente. Pode até deixar de te procurar na cama. Quando você pergunta o que ele tem, ele responde que está tudo bem. No namoro podem haver sinais. A mulher que recua nos seus desejos mais profundos para "pacificar" o abusador, abre caminho para que a "linguagem" do silêncio e da indiferença se instale como estratégia de dominação para gerar culpa e insegurança na parceira. Ele não grita, nunca te empurrou, te deu um soco... É importante observar que condutas tóxicas como estas podem ter dimensões muito sutis, o que pode dificultar a identificação.  Observar os sinais e autoconhecimento sempre serão as condutas preventivas sugeridas nas fases iniciais da relação amorosa. Estar num relacionamento deste tipo é muito

SABE AQUELE CARA? PREVENÇÃO RELAÇÕES ABUSIVAS: UMA VISÃO

Sabe aquele cara que conheceu a esposa na balada toda soltinha fazendo as mais famosas coreografias da Anitta, Ludimila e companhia?  Ela era a gostosa do baile, poderia ter todos que quisesse (e teve). Escolheu o cara por amor. Ela só dançava porque dançar a deixava alegre e nem sempre tinha um plano de sedução na cabeça quando saía na noite. Só quando ela queria ter. Dançar sempre foi mais e "o que tiver de ser será". Era seu lema. Ela só tinha olhos para ele. O cara se encantou com a mais bela do baile, se casaram e ele pensou que ela ia aceitar ficar em casa, porque no fundo, ele sempre foi caseiro. Ela quer dançar mesmo depois de casada porque dançar era uma coisa tão boa pra ela... Ela amava o cara que escolheu e ele passou a detestar a alegria dela. Sempre dava uma desculpa para não levá-la para dançar e ela queria ir com ele, mesmo sabendo que ele dançava mal. Ela nem ligava. Namorar o marido, sair os dois pode deixar tudo mais leve... Ela pediu tantas vezes, até que

A MULHER QUE ATRAI RELAÇÕES ABUSIVAS: O "DEDO PODRE"

A MULHER QUE ATRAI RELAÇÕES TÓXICAS: O "DEDO PODRE" Não é um texto sobre culpar a mulher. Ser mulher já é carregar tanta culpa... Mesmo vítima sempre há de antemão uma dúvida presente se contribuiu para o delito cometido. Repito, não é um texto para culpar a mulher, mas um texto para convidar a mulher a verificar suas "chagas emocionais". Na sua história podem haver situações em que se sentiu insuficiente e isso sem perceber tornou-se um "projeto existencial" de encontrar alguém para preencher esta lacuna, ou seja, uma "fratura" emocional ocorreu, mas ficou ali sem cuidado, somente sob a ação do tempo... Sem perceber a mulher passa a crer ser preciso encontrar alguém para suprir essa carência, alguém para tratar da sua fratura. Elogios sem critério (não é que não mereça elogios) e ações românticas excessivas, presentes quase sempre apenas no ato da conquista, podem dar a impressão de ter encontrado "a pessoa".   Sem perceber, situações