Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2017

SAÚDE BUCAL E PROBLEMAS EMOCIONAIS

Photo by Isaiah McClean on Unsplash
Cada vez mais torna-se impossível afirmar que ter um problema de saúde é considerar uma parte do corpo doente. E isso pode servir para estimular que o indivíduo desenvolva consigo próprio uma atenção maior aos movimentos da sua mente-corpo no cotidiano. 

E mais uma vez a intenção aqui não é assumir o lugar do dentista, mas sempre que possível poder auxiliar a produzir uma cultura de prevenção. Procure um especialista. Aproveito este momento de troca para quem conheça algum projeto social ou afim para quem não pode pagar. Da minha parte conheço aqui no Rio de Janeiro a Associação Brasileira de Odontologia. Pesquisem e se puderem compartilhem aqui no Blog.

É uma realidade que cárie, mau-hálito e problemas na gengiva podem inibir a espontaneidade de uma pessoa nas suas relações sociais, interferindo também na autoestima. Há uma perda na espontaneidade, pois fica a desconfiança do hálito. Pode também sofrer com dores de dente e assim ir ficando cada vez ma…

DANDO UMA TRÉGUA AO CINISMO REINANTE DO MUNDO ADULTO: SOBRE SE "MARAVILHAR" COMO A CRIANÇA QUE UM DIA FOMOS

Fonte: O Globo

UM MERGULHO NO SENTIMENTO DA CANÇÃO

Esta canção muito conhecida do saudoso e genial Belchior, tem me tocado nestes tempos. Gostaria de propor um mergulho nas suas imagens que atestam a potência criativa deste grande compositor, tão profundo, cheio de vida e que expunha as suas contradições  quando diz nesse trecho: 


(...)Não me peça que eu lhe faça Uma canção como se deve Correta, branca, suave Muito limpa, muito leve Sons, palavras, são navalhas E eu não posso cantar como convém Sem querer ferir ninguém
Regina Bomfim

Apenas Um Rapaz Latino-americano

Belchior

Eu sou apenas um rapaz
Latino-Americano
Sem dinheiro no banco
Sem parentes importantes
E vindo do interior

Mas trago de cabeça
Uma canção do rádio
Em que um antigo
Compositor baiano
Me dizia
Tudo é divino
Tudo é maravilhoso

Mas trago de cabeça
Uma canção do rádio
Em que um antigo
Compositor baiano
Me dizia
Tudo é divino
Tudo é maravilhoso

Tenho ouvido muitos discos
Conversado com pessoas
Caminhado meu caminho
Papo, som, dentro da noite
E não tenho um amigo sequer
Que ainda acredite nisso não
Tudo mud…

VONTADE DE COMER DOCES

Sempre fui magra e nunca me preocupei com dieta. Até que um dia meu colesterol ficou muito alto e fiquei pré-diabética duas vezes. Isso aconteceu aos quarenta anos... a partir daí, minha relação com a comida passou a ser diferente. A maior parte do que como hoje é saudável - legumes, verduras, frutas, grãos - não há nada que não goste de comer, mas por outro lado a-d-o-r-o doces e salgados. Como de tudo, não faço nenhuma restrição radical de nada, mas passei a observar em mim uma vontade imensa de comer doces que costumam me dar uma saciedade maior.  Vi que tenho compulsão. Faz tempo que não compro chocolate, mesmo optando pelo meio amargo, eu como tudo até ver o fim.

Em função desta história acima, estabeleci que iria reservar os finais de semana para consumir estes alimentos que gosto e nos dias de semana diminuiria o pão e os doces. Quem disse que estou conseguindo? Sempre acabo quebrando minha promessa.

Não sou nutricionista (já consultei e minha tentativa de rotina se baseia na pre…

ORIENTAÇÃO SEXUAL: QUESTÃO AINDA POUCO FALADA

Escolher este assunto em meio a um cenário de muitos acontecimentos simultâneos envolvendo o tema orientação sexual é talvez abrir caminho para a ideia de que apoio esta decisão judicial que coloca a homossexualidade como patologia e autoriza psicólogos a "tratar" homens e mulheres que desejam fazer "terapia de reversão sexual"  - o que não é verdade. Tampouco este texto deseja esgotar um assunto complexo como este e de antemão, convido aos que passaram por processos bem sucedidos ou não se manifestem porque tem sempre mais vida a palavra daquele que "sente na pele".

Quero trazer luz sob uma outra perspectiva: pessoas em processo de mudança de sexo com uso de hormônios (casos de automedicação), intervenções invasivas e depois mudaram de ideia. Na reportagem que li, havia em boa parte das falas o uso das palavras, busca de apoio, conseguir se encaixar. Em geral acontece com indivíduos bem jovens. O termo usado é destransicionar.

Nesse caso a ajuda psicológic…