A paz: que tipo de paz temos buscado?


Acho essa canção uma das mais inspiradas na recente produção musical brasileira (se não for a mais), pois ela traz reflexões sobre a a vida atual. O vídeo e a letra sugerem questões sociais bem presentes no nosso cotidiano, mas penso que a proposta da letra também se encaixa na paz que temos buscado dentro de nós mesmos para satisfazer ao mundo e negando quem de fato somos. Há um preço a pagar nessa "corrupção" que nos impomos que acaba por repercutir no mundo. O mundo acaba sendo aquilo que fazemos dele. Em tudo que vemos e nos escandalizamos tem um pouco de nós. Daí criticar o que há no mundo é fácil, mas procurarmos entender a nossa contribuição para o que ocorre, é um grande exercício que certamente passa pelo autoconhecimento.






Minha Alma ( a Paz que Eu Não Quero)


O Rappa
A minha alma tá armada e apontada
Para cara do sossego!
(Sêgo! Sêgo! Sêgo! Sêgo!)
Pois paz sem voz, paz sem voz
Não é paz, é medo!
(Medo! Medo! Medo! Medo!)
As vezes eu falo com a vida,
As vezes é ela quem diz:
"Qual a paz que eu não quero conservar,
Pra tentar ser feliz?"
As grades do condomínio
São prá trazer proteção
Mas também trazem a dúvida
Se é você que tá nessa prisão
Me abrace e me dê um beijo,
Faça um filho comigo!
Mas não me deixe sentar na poltrona
No dia de domingo, domingo!
Procurando novas drogas de aluguel
Neste vídeo coagido...
É pela paz que eu não quero seguir admitindo
É pela paz que eu não quero seguir
É pela paz que eu não quero seguir
É pela paz que eu não quero seguir admitindo

Fonte: http://letras.terra.com.br/o-rappa/28945/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SOBRE A AMBIÇÃO DO AVANÇAR DO TEMPO E SUAS RESPOSTAS: UM TOQUE DE ARTE

CRIADOR E CRIATURA

DOE VIDA: DETALHES A QUEM SE INTERESSAR