Como Lidar Melhor Com A Solidão, A Angústia E O Abandono




Por Jadir Machado Lessa

Ao trazer o capítulo deste livro que li há muitos anos, trago de volta a emoção do momento que o adquiri e constatei muitas transformações em mim desde então Ainda aprendo me vendo em cada página. Assim é... Incompletos seremos sempre.




"Só atinge o longe quem volta a si e se recolhe sobre suas próprias forças. É do fundo da alma solitária que caem as energias e as esperanças para o empreendimento da existência -humana-no-mundo". (Buzzi, A.R. Filosofia para Principiantes)


Para que você aprenda a lidar melhor com a solidão, com a angústia e o abandono é preciso que você decida tornar-se autêntico. Comece melhorando o seu relacionamento pessoal e social, o contato que você tem consigo mesmo, procurando conhecer melhor seus sentimentos, aprendendo a dar nomes aos seus sentimentos e a expressá-los de forma mais firme e clara.

Não diga que você tem medo de expressar seus sentimentos porque tem medo do que os outros vão pensar. Ora, só nos vinculamos ao outro através dos sentimentos; quando uma pessoa não expressa seus sentimentos, por medo do que o outro vai pensar, essa pessoa está excluindo o outro da sua existência. Se você age deste modo com muitas pessoas ou com todas, na realidade, você não excluiu ninguém, você excluiu a si mesmo. Você se excluiu porque deixou de se relacionar com as pessoas. Quando você expressa seu sentimento para outro, ele pode gostar ou não, pode se sentir atraído por você ou pode sentir vontade de se afastar de você, são duas possibilidades. Você tem matematicamente, 50%.

Você não precisa atrair todo mundo, você nem daria conta de se relacionar com todo mundo. Basta que você se expresse para que tenha a possibilidade de saber quem está com você, quem quer estar com você e quem se sente identificado com você. Algumas pessoas vão querer se aproximar, vão se sentir bem quando você expressar seus sentimentos, vão sentir que há uma sintonia, uma integração, uma identificação. Outras pessoas vão preferir se afastar, e isso é excelente, porque é um critério de seleção das suas amizades. Você vai poder saber quem está perto de você, com quem você pode contar, trocar mais, e, ao mesmo tempo, vai saber com quem você não pode contar, quem não está perto.

Então, o medo de expressar os sentimentos é uma forma de medo de viver? Lógico! É necessário que você descubra que precisa se modificar, para que aprenda a lidar melhor com a angústia, solidão e abandono. você precisa se modificar, porque, se continuar fazendo as mesmas coisas como sempre fez, você vai ter na vida os resultados que sempre teve. e se você não está satisfeito com esses resultados é preciso que você se modifique, porque os outros não vão se modificar.

Você tem uma atitude diante da vida, que de certa forma determina a atitude dos outros para com você. se você não está satisfeito com a atitude dos outros em relação a você, você tem que modificar-se, em vez de esperar ou de cobrar que o outro modificque a atitude dele. A atitude dele é proporcional à sua. Se você sorrir para alguém é muito provável que você receba um sorriso de volta. Se você faz uma cara feia para alguém ou faz uma careta é muito provável que o outro não sorria, ele pode até nem fazer uma careta de volta, ele pode até nem fazer uma cara feia, mas é pouco provável que ele sorria em retribuição a uma careta ou cara feia, a menos que você tenha feito isso brincando.

Então, quanto mais você se modifica internamente, mais intensamente você vai modificar o resultado que obtém da vida, você vai modificar as relações que você tem com as outras pessoas.

É preciso, antes de mais nada, abrir mão da obstinação em modificar o outro. Muitas pessoas se sentem verdadeiramente obstinadas na tentativa de convencer o outro a ser diferente, diferente do modo que a favoreça. E o outro não muda, porque ele tem os interesses dele, tem os propósitos dele. Não posso ficar esperando ou cobrando que o outro se modifique para atender ao meu interesse. É preciso que eu em modifique para conseguir os objetivos que eu quero na relação com os outros.

Mas será que você tem uma vontade sincera de se modificar? Não basta ter uma estratégia: ah! descobri que seu eu me modificar eu posso modificar o outro, e aí você modifica a aparência, modifica uma atitude, mas não se modifica internamente, não modifica a energia que você passa com essa atitude. Não vai adiantar nada. É preciso que haja um desejo sincero de se modificar. você precisa de auto aceitação, um pouco mais. Você se aceita como é? Será que você pode se aceitar um pouco mais? Quanto mais você se aceita, mais você evolui. Aceitar-se não quer dizer valorizar os próprios defeitos, não quer dizer conformar-se ou acomodar-se. Você se aceita como é. e parte desse ponto como um ponto inicial, um ponto de partida para se tornar quem você quer ser.

É importante que aceite onde está, como você é, e a partir desse ponto comece a se aperfeiçoar, mas partindo de como você é. Não adianta inventar uma fantasia, não adianta criar um personagem, não adianta fingir que você é outra coisa ou outra pessoa, porque você pode até ter êxito nisso, mas esse êxito pod acarretar o seu maior fracasso. Porque se você consegue produzir um personagem idealizado, que agrada o outro, que desperta o amor do outro, o carinho do outro, a admiração do outro, a simpatia do outro, o máximo que você vai conseguir é a ilusão de que o outro está bem impressionado com você. É a ilusão de que o outro gosta de você, lhe admira, porque na realidade o outro não está admirando a sua personalidade, não está gostando da sua pessoa, ele está simplesmente gostando do personagem que você está representando, e ninguém se vincula a um personagem, porque se o outro estabelce com você um vínculo com base no personagem que você representa, ele vai estar interessado no personagem. Na convivência o outro vai descobrir em pouco tempo que você não é aquele personagem e vai se desencantar, se decepcionar. O outro vai embora e você continua só.

Então, não adianta querer pegar o atalho de representar, de construir um personagem, é preciso que você se construa. Se você só tem o ensino fundamental, por exemplo, e quer fazer universidade e consegue um diploma falso de ensino médio, você pode até se matricular no vestibular. Mas será que você vai passar? O fato de ter um diploma é falso, você não tem o conhecimento que as pessoas adquirem quando fazem o ensino médio. Você dizer que tem o Ensino Médio não faz diferença alguma.

Você faz isso assim na sua vida? Você representa algum personagem? Preste bem atenção, veja se vale a pena, veja o que você ganhou com isso.

A auto aceitação é um pré requisito de qualquer mudança. Para aprender a aceitar o outro, para aprender a tolerar a si mesmo e a tolerar o outro, para aprender a gostar mais dde si mesmo, e a gostar mais do outro. Não se preocupe com as suas limitações, não se preocupe com a sua incompletude. Sabe por que? Porque todo mundo é incompleto, todo mundo é limitado. Não existe no mundo uma pessoa completa, não existe no mundo uma pessoa ilimitada.

Se o indivíduo sabe muito bem m assunto, ele sabe pouco sobre outro; se ele tem uma habilidade muito grande para fazer determinadas coisas, ele não tem habilidade para fazer outras que talvez você tenha. Na realidade, cada um de nós é incompleto e é justamente essa incompletude que permite, facilita e favorece o relacionamento humano, porque na medida em que sou incompleto, eu não tenho coisas que você tem, eu não faço bem coisas que você faz e você não tem coisas que eu tenho e você não faz bem as coisas que eu faço. e com isso nós podemos trocar, com isso eu posso dar a você o que eu tenho em troca daquilo que você tem e que eu não tenho. Eu posso fazer para você as coisas que você não sabe fazer ou não tem habilidade para fazer e você faz pra mim as coissas que eu não sei fazer ou não tenho habilidade para fazer.

Com isso, estabelecemos uma relação de interdependência com todas as pessoas. Se você se conhecer bem e conhecer bem cada pessoa, vai descobrir que pode ter uma relação de troca com qualquer um. Você sempre pode trocar alguma coisa com alguém, há sempre alguma coisa que você tem que o ourto não tem e há sempre alguma coisa que o outro tem e você não tem. Você sempre pode aprender com qualquer pessoa, sempre pode ensinar alguma coisa para qualquer pessoa.

Não se preocupe de ter limites, não se preocupe de ser incompleto, isso não afasta o outro, pelo contrário isso aproxima. Quando você revela uma limitação sua, o outro se alegra porque certamente ele terá alguma coisa para complementar. E quando você revela alguma qualidade sua, certamente o outro poderá usufruir dela. Existe a possibilidade da troca. Não há nenhuma vantagem numa relação em que um só dá e o outro só recebe. É muito importante que cada um aprenda a trocar.

Então, a incompletude pode ser um motivo para você se lamentar, um pretexto para você se envergonhar, se culpar, se sentir inferiorizado, mas também pode ser um instrumento que favorece a troca. Uma grande vantagem que cada ser humano tem e que pode explorar no sentido de estar com os outros. Pense nisso! Veja de que maneira você pode aproveitar a incompletude. De que maneira você pode enriquecer a sua vida e enriquecer a vida do outro.

Fonte: LESSA, Jadir Machado - Solidão e Liberdade - Publicação da Sociedade de Análise Existencial e Psicomaiêutica. SAEP


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SOBRE A AMBIÇÃO DO AVANÇAR DO TEMPO E SUAS RESPOSTAS: UM TOQUE DE ARTE

CRIADOR E CRIATURA

DOE VIDA: DETALHES A QUEM SE INTERESSAR