Entrevista com Mônica alvarenga






'O principal exercício a fazer é o da escuta'

 * Inovar a partir de um profundo mergulho no presente é o que sugere a Teria U, concebida por Otto Scharmer, do Massachussets Institute of Tecnology (MIT). Adepta da proposição, a consultora organizacional Mônica Alvarenga ressalta que escutar o outro é o passo inicial para se romper com estruturas antigas: "o líder será tão bem-sucedido quanto sua capacidade de abrir mão do próprio conhecimento", diz.

O GLOBO: O que a Teoria U estabelece?
MÔNICA ALVARENGA: A Teoria U é uma proposta de ação voltada para inovação, concebida por Otto Scharmer, professor do MIT, para quem o mergulho presente facilita a abertura para o novo. Após anos de observação, ele sistematizoou o comportamento comum em lideranças bem-sucedidas na metodologia chamada de presencing palavra que cunhou juntando outras duas: presença e sentimento. O presencing facilita a transformação, que costuma acontecer durante momento de crise.

* Mas como esse mergulho facilita o contato com algo que ainda não foi pensado?
MÕNICA: A letra U simboliza o movimento proposto que se inicia quando percebemos e ultrapassamos nossa forma mais comum de agir, com base em aprendizados passados, e continua quando conseguimos ver e sentir a partir de perspectivas diferentes. Aí em estado de atenção profunda, surgem novas idéias e possibilidades de realizações transformadoras. O mergulho no presente exige abertura e, por isso, o professor diz que o principal exercício a fazer é o da escuta. Escutamos o outro, de fato, quando silenciamos a nós mesmos.

* Como se fosse preciso ir ao fundo do poço e voltar?
MÕNICA: Sim. quase isso! Precisamos da crise para ter coragem de deixar para trás o que já não nos serve mais. É a ruptura que nos permite acessar o novo.

* Pode nos dar resultados já obtidos a partir da teoria?
MÔNICA: Numa das empresas em que apliquei a Teoria U, começamos promovendo a qualidade da escuta. Com dinâmicas reflexões por seis meses, integramos departamentos e equipes, aumentando o diálogo e a percepção de que formam um todo. Idéias surgiram, mas realizá-las exige ousadia e confiança em quem está ao lado.

* Por isso, a escuta é um exercício tão importante?
MÔNICA: Sim, o líder atual será tão bem-sucedido quanto sua capacidade de abrir mão do próprio conhecimento. É essa qualidade que permite atuar a partir do futuro. ele só emerge quando ousamos agir a partir do desconhecido.
Fonte: Jornal - O GLOBO -Caderno Boa Chance 25/03

Postagens mais visitadas deste blog

SOBRE A AMBIÇÃO DO AVANÇAR DO TEMPO E SUAS RESPOSTAS: UM TOQUE DE ARTE

CRIADOR E CRIATURA

DOE VIDA: DETALHES A QUEM SE INTERESSAR