Psicologia - uma visão pessoal onde me incluo como aprendiz

Por Regina Bomfim

As coisas só fazem sentido quando o sentido passa a fazer sentido para mim, do contrário serão conceitos vazios em relação ao que percebo do mundo. 

É neste momento que a relação psicólogo /cliente se difere da conversa-desabafo que costumamos ter com nossos amigos e dos conselhos que surgem desta troca que é tão tão rica e jamais deve ser ignorada.

O psicólogo dentro da sua técnica nas diferentes abordagens, vai procurar investigar como foram construídos estes sentidos que o indivíduo carrega independente desta busca ser no passado ou no presente, o que é diferente de dizer:  - "Você deve fazer isso ou aquilo", mas aproveitando o que o outro traz para ir empreendendo junto essa "viagem' de muitas paisagens entre flores e pedregulhos...

Pouco a pouco o sentido começa a fazer sentido como propriedade do indivíduo e  com posse de si mesmo, pode seguir se permitindo, mudando de idéia, rindo, chorando, vivendo as experiências. Nem "Super- Herói", nem "pobre coitado" mas apenas sendo gente, porque, como diz Caetano, "gente é pra brilhar e não pra morrer de fome".

Comentários