Líder não investe na equipe, diz pesquisa

APENAS 22% DOS ENTREVISTADOS RESPONDEM QUE SEUS GERENTES SE PREOCUPAM EM DESENVOLVÊ-LOS


Líderes estão mais determinados a desenvolver a própria carreira do que incentivar o aprimoramento de suas equipes. Pelo menos é para esse cenário que aponta a pesquisa feita pela consultoria LHH/DBM, junto a 450 executivos nos Estados Unidos.


Segundo o estudo, apenas 22% dos entrevistados relatam que seus gerentes se interessam pelo seu desenvolvimento profissional, enquanto 52% afirmam que raramente ou nunca há preocupação de seus líderes em ajudá-los a aprimorar seus papéis. Já 27% dos executivos dizem perceber às vezes esse tipo de preocupação por parte dos seus superiores.

 GESTÃO DEVE SER MAIS VOLTADA PELO ACOMPANHAMENTO


Diretora da Talent  Development da LHH/DBM, Fátima Rossetto, acredita que o resultado da pesquisa também reflete o cenário corporativo brasileiro, no qual o líder ainda não vê com clareza seu papel no desenvolvimento da equipe.

- Isso acontece porque ele atribui essa responsabilidade à organização, inclusive com sua própria carreira, e acaba transferindo essa falta de investimento para seus subordinados - diz Fátima.

Segundo a diretora da consultoria, outro problema recorrente que ajuda a compreender os dados pelo estudo dizem respeito à confusão que existe entre gestão voltada para execução ou desenvolvimento.

- O executivo precisa perceber que ele é valorizado muito mais por sua capacidade de acompanhamento do que pela habilidade de executar - ressalta Fátima, destacando outra pesquisa que mostra o que mais engaja os funcionários: - Oportunidade de aprendizado com o líder e desafios.  É o que mais retêm as pessoas em uma organização. Mas apesar disso, ainda vemos muitas lideranças egocentradas em seu autodesenvolvimeto sem repassar isso a seus colaboradores, que acabam sem saber em que podem melhorar.

Para Fátima, falta melhorar a cultura de dar feedback:
- Os funcionários querem saber qual é o seu potencial e se estão desempenhando bem suas funções.

Fonte: Jornal O Globo - Caderno Boa Chance (17/05 p.3).

Comentários