JANEIRO BRANCO: MÊS DA SAÚDE MENTAL, SAÚDE MENTAL SEMPRE

Recebi este GIF via Whatsapp, espero que funcione na sua mídia
Falar de saúde mental é compreender que esta é, sem medo de ser audaciosa em minha posição, o território, o recurso natural, a tecnologia mais valiosa da existência que cabe ao ser humano explorar. Como ainda somos estrangeiros dentro de nós mesmos, apesar dos  importantes avanços que somos capazes de criar. 

As perspectivas de crescimento dos transtornos mentais e seus inegáveis danos à saúde e à produtividade por cada vez mais incapacitarem ao trabalho e ao desfrutar da vida, torna-se cada vez mais algo que não mais pode ser ignorado, daí a iniciativa de transformar o mês de Janeiro no mês da Saúde Mental -  JANEIRO BRANCO.

Em muitas ocasiões o PSICOLOGIA EM FOCO falou sobre o quanto se tornou insustentável manter a separação corpo e alma - O penso, logo existo de Descartes, somado a todos os pensadores que forjaram a estrutura e o funcionamento do Ocidente, tem se mostrado ineficaz ao longo dos anos para dar conta da comp…

Origens da bioética

Por Leo Pessini, camiliano
  
Os tempos modernos nos levam a estas reflexões. Os descaminhos de nossa alma podem produzir no mundo ações equivocadas, mas ainda assim há que se acreditar no humano, no poder que todos temos de nos recriar sim - todos, inclusive aqueles que estão aí no mundo realizando as coisas mais escandalosas. São apenas formas distorcidas de ver o mundo. Todos em maior ou menor grau, temos nossas distorções. Compaixão.
Regina Bomfim.


Recentes pesquisas no âmbito da bioética nos trazem uma grande novidade em relação às origens. Somos levados a recuar no tempo e na história e encontrar em 1927, na Alemanha Fritz Jahr. Ele é um pastor protestante, filósofo e educador e publica um artigo intitulado: "Bioética: uma visão do relacionamento ético dos humanos em relação aos animais e plantas". Nesta publicação, Jahr propõe um "Imperativo Bioético", ampliando o imperativo moral de Kant: Age de tal modo que consideres a humanidade, tanto na tua pessoa como na pessoa dos outros, sempre como fim e nunca como simples meio - para todas as formas de vida: Respeito todo ser vivo, como princípio e fim em si mesmo e trate-o, se possível, enquanto tal, é o imperativo bioético!





Comentários