UM PAPO SOBRE ECONOMIA

Photo by Olu Eletu on Unsplash
Será que para ter afeto, se sentir respeitado, você precisa abrir mão de si mesmo? Será que na economia dos sentimentos acaba sempre sendo um preço muito caro a ser pago?

Regina Bomfim



LOUVANDO O TEMPO EM SUA MUTAÇÃO









Esta dimensão mutante do tempo muitas vezes nos escapa quando passamos por um longo período de alegrias, dores ou incertezas e aí achamos que tudo permanecerá do mesmo modo. Permanecer do mesmo modo tanto tentando congelar uma alegria e até mesmo uma dor é ter a ilusão de impedir o fluxo de vida que encontrará em nós e até fora de nós um modo de sinalizar a necessidade de reinventar nossos rumos. Depressão, ansiedade, um corpo que dói, uma alma que sangra em silêncio... 
Admitir isso nem sempre é fácil, é um exercício de buscar não abafar os sentimentos porque a forma como nos sentimos conosco mesmos determina as pessoas e experiências que vivenciamos.

Nunca pensar que nosso tempo "acabou", que a felicidade é um tempo que não volta mais. que tudo está fadado a ser permanentemente o mesmo. A gente não sabe, a gente nunca vai saber. E esse não saber não precisa ser assustador, mas pode nos induzir a experimentar mais. Que nós possamos compreender que " tudo passa, tudo sempre passará". Aprendo.

Regina Bomfim
Psicóloga Clínica
bomfimregina2@gmail.com
(21) 9 9489-2311/ 9 8186-1952
http://facebook.com/psicologiaenfoco1