JANEIRO BRANCO: MÊS DA SAÚDE MENTAL, SAÚDE MENTAL SEMPRE

Recebi este GIF via Whatsapp, espero que funcione na sua mídia
Falar de saúde mental é compreender que esta é, sem medo de ser audaciosa em minha posição, o território, o recurso natural, a tecnologia mais valiosa da existência que cabe ao ser humano explorar. Como ainda somos estrangeiros dentro de nós mesmos, apesar dos  importantes avanços que somos capazes de criar. 

As perspectivas de crescimento dos transtornos mentais e seus inegáveis danos à saúde e à produtividade por cada vez mais incapacitarem ao trabalho e ao desfrutar da vida, torna-se cada vez mais algo que não mais pode ser ignorado, daí a iniciativa de transformar o mês de Janeiro no mês da Saúde Mental -  JANEIRO BRANCO.

Em muitas ocasiões o PSICOLOGIA EM FOCO falou sobre o quanto se tornou insustentável manter a separação corpo e alma - O penso, logo existo de Descartes, somado a todos os pensadores que forjaram a estrutura e o funcionamento do Ocidente, tem se mostrado ineficaz ao longo dos anos para dar conta da comp…

VIGIAR E PUNIR: EM TEMPOS DE PROCURA DO "SALVADOR" E DO "CULPADO"

Resultado de imagem para RESPONSABILIDADE





"(...) A individualização da responsabilidade esquece todo o sistema produtor de crimes e violências".
​Érika Reis​



Fugir da responsabilidade e culpar o outro - como disse Sartre, o inferno são os outros - Assim mantemos distância do inferno que ainda está em nós. Quem nunca? Cada um em algum momento, teve as suas razões para preferir tomar estes atalhos acreditando que agindo deste forma, a dor seria menor. Foi até uma solução que se mostrou eficaz por algum tempo. Quem nunca?

Me parece que tomar atalhos de soluções provisórias escolhendo culpados ou salvadores têm sido uma das fortes características dos nossos tempos. Parece que nossos desarranjos interiores estão disseminados no mundo.

Quanta confusão se vê, mas faz parte. São os "abalos sísmicos" da Vida, estruturas profundas dos valores antigos e modernos do mundo que estão sendo remexidas e procurando sua acomodação. Contudo, cabe a nós pensarmos (o mundo nos convoca a ações sempre tão rápidas) que tipo de mundo queremos para nós e qual a nossa real disposição para mudá-lo e por onde devemos iniciar esta mudança, sabendo que quase nunca essas mudanças acontecem rapidamente. Em algum momento este trabalho será inevitável.


Regina Bomfim
Psicóloga Clínica
Contato: 21 98186-1952/ 99489-2311



Comentários