HORA DE SE RECOLOCAR NO MERCADO

Resultado de imagem para recolocação profissional




Fonte: Boa chance

Profissionais disponíveis são requisitados para assumir cargos recém-criados nas empresas ou para gerenciar novos projetos​

​Tem quem esconda o fato de que foi demitido e quem culpe o antigo chefe, as empresas ou os colegas. Mas profissionais de recrutamento e seleção afirmam, com convicção: dispensa não é sinônimo de descrédito. Há uma percepção geral no mercado de que não existe uma relação direta entre demissão e falta de competência​ ou de comportamento adequado profissional


Para quem está passando por essa fase, uma dica: a chave para uma recolocação bem-sucedida no mercado está na estabilidade emocional. Com foco nos objetivos e um bom planejamento, o profissional pode retomar as rédeas da carreira de forma mais rápida e consistente. Mas é sempre bom ter um "pé de meia" e manter uma reserva financeira.

O presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos do Rio de Janeiro (ABRH-RJ) afirma que o processo de reestruturação financeira, comuns em muitas empresas brasileiras, levam a uma série de demissões sem causas específicas.
- O candidato deve ser transparente no momento da entrevista e explicar de forma convincente o porquê de ter deixado a companhia - orienta Paulo Sardinha, acrescentando que a luz amarela dos recrutadores só acende se informar que se demitiu sem ter outro trabalho em vista.

De acordo com dados da ABRH-RJ, a média de tempo para um executivo se recolocar no mercado é de três a quatro meses. Para profissionais com menor nível hierárquico, o período varia entre um e dois meses. Mas o ritmo das contratações é ditado também pelo cenário macroeconômico e pela demanda.

Em nome da estabilidade emocional  - e dependendo da situação financeira - o profissional deve tirar uns dias de descanso após a demissão, antes de buscar nova colocação no mercado. Duas semanas de folga, garantem especialistas, , são suficientes para repensar as causas do desligamento, traçar um plano de ação e ganhar mais confiança em futuras entrevistas de emprego.

ATENÇÃO AO CURRÍCULO

Restabelecido, o profissional pode  começar a preparar o seu currículo - seu novo cartão de visitas. O primeiro passo é lembrar tudo o que realizou na carreira. a partir daí , ter em mente o objetivo profissional e alinhar as informações que procura.

A regra é simples: quem tem experiência, deve destacar este tópico, quem não tem deve focar na formação. cursos, conhecimentos de idiomas, informática e internet aparecem em seguida. Viagens prêmios e trabalhos voluntários podem ser informados, desde de que tenham relação com a vaga pretendida.
- O currículo continua sendo a mais importante peça de marketing para quem procura emprego e deve ser elaborada para despertar o interesse de quem contrata - sugere Marcelo Abrileri, presidente e fundador da Curriculum, site de cadastro de currículo e oferta de vagas. 

A ansiedade é um dos grandes vilões na busca da recolocação no mercado. Para aliviar esse sintoma, é preciso planejar e estipular metas. O ideal é que o profissional estabeleça uma rotina e encare a procura por um emprego como se fosse um expediente diário.

Entre as tarefas do dia a dia, a principal é a ativação do networking. Na avaliação da diretora de consultoria global em mobilidade de talentos LHH, Margareth Columa, com uma boa rede de contatos, o profissional tem pelo menos 80% de chance de se recolocar no mercado mais rapidamente. Mas é preciso ter cuidado
-Não se usa networking para pedir emprego, mas para divulgar os objetivos profissionais e dizer que está disponível. Todo cuidado é pouco para não causar má impressão.

MAIS QUALIFICAÇÃO

Fazer cursos relacionados à área de atuação no período em que aguarda resultado de processos seletivos é outra dica importante. A coach especialista em ambiente organizacional, Priscila Bellizzi, priorizou o aperfeiçoamento profissional durante o período de desemprego e acha que foi uma grande sacada.
-Assim que fui demitida, decidi investir em um curso de formação de novos líderes e, desde então trabalho nesse segmento. Sem dúvida, a capacitação é uma forma eficaz de enfrentar um mercado cada vez mais competitivo.

As empresas especializadas em recolocação são recomendadas pela professora de oratória, Kátia Campelo, que vê nestes espaços a possibilidade de se fazer uma autorreflexão dos fatores que levaram à perda do emprego, de melhorar os pontos fracos e de reforçar os fortes.
- O profissional tem a possibilidade de trabalhar a comunicação interpessoal e obtém dicas valiosas em relação a uma melhor maneira de se comportar em uma entrevista de emprego.


OPORTUNIDADES GERADAS NAS REDES SOCIAIS
O  mundo virtual é cada vez mais usado para avaliação de perfil​

​Para quem está a procura de emprego ou buscando progredir na carreira, a redes sociais são uma ferramenta poderosa. Não só pela capacidade de conectar pessoas e empresas e ampliar o networking, mas também pela facilidade de promover o marketing pessoal. Utilizadas cada vez mais como meios de análise de perfis de candidatos por empresas de recrutamento, essa plataformas podem ser decisivas no momento da contratação.

Mas é preciso ter cuidado ao se expor na internet. uma rede social tanto pode favorecer quanto ser um ponto negativo na busca por uma ocupação. Perfis polêmicos e agressivos, erros de português em posts e muitas fotos em festas e com consumo de bebidas são avaliados negativamente pelos recrutadores em geral.
- As ferramentas demonstram como a pessoa se comporta no meio social e as condutas observadas no mundo virtual​ podem ser facilmente estendidas no ambiente de trabalho. Essa é a principal preocupação - afirma o gestor de carreiras da Top Quality, Giovani Falcão.

Os candidatos a cargos de nível hierárquico mais alto, como diretores, gerentes, devem ser discretos nas redes sociais. em processos para a escolha de profissionais com perfis de liderança, os recrutadores costumam ser mais rigorosos e atentos a estas questões. quanto menos exposição, mais positiva será a avaliação feita pela empresa.
Resultado de imagem para recolocação profissional


REDE PROFISSIONAL

Manter-se conectado em redes como Linkedin pode gerar frutos no ambiente profissional. Leandro Marins, de 37 anos, descobriu a eficiência da plataforma social ao ser demitido de uma empresa da área de telecomunicações no fim do ano passado. Após sair, atualizou o perfil, pediu recomendações de colegas de trabalho e incluiu cursos e competências. Foi procurado por um headhunter.
- Ele viu meu perfil e me enviou uma mensagem perguntado se estava disposto a fazer parte de um processo seletivo. Consegui um novo emprego na mesma área em que atuava, três meses depois de ter sido demitido, graças ao networking que fiz no ambiente virtual - conta Leandro.

Cerca de 700 empresas no Brasil utilizam essa ferramenta corporativa, segundo dados do próprio Linkedin, que conta com mais de 20 milhões de usuários no país. Por meio da plataforma, é possível manter-se atualizado sobre assuntos e vagas do setor de interesse e conhecer as tendências do mercado.

A gerente de comunicação do Linkedin no Brasil e América Latina, Fernanda Brunssizian, explica que o alcance de uma empresa ao utilizar a plataforma é incomparável, pois permite garimpar todos os usuários da rede os perfis que mais combinam com a ocupação oferecida.

Os primeiros campos observados pelos recrutadores são a foto, o resumo da experiência e o cargo atual do usuário. Perfis com foto são 14 vezes mais visto do que páginas sem imagem. Na avaliação da gerente, um perfil bem cuidado tem mais chances de atrair o recrutador. Para isso, o profissional deve escrever com português correto, usar recursos visuais (apresentações vídeos, matérias), ter todos os campos preenchidos e ser conciso.
- um recrutador pode até não contratar o candidato para uma determinada vaga por motivos diversos, mas ele tem a possibilidade de salvar o perfil. Se as informações tiverem chamado  a atenção positivamente, há chances de contratar esse profissional no futuro.




DICAS PARA QUEM PROCURA EMPREGO

NÃO SE DESESPERE

ORGANIZE A ROTINA

PLANEJE AS DESPESAS

PREPARE UM BOM CURRÍCULO

CADASTRE O CURRÍCULO EM SITES DE EMPREGO

ENVIE CURRÍCULOS PARA EMPRESAS

CANDIDATE-SE A VAGAS QUE SE ENCAIXA EM SEU PERFIL

PREPARE-SE PARA AS ENTREVISTAS

ATIVE O NETWORKING

BUSQUE INFORMAÇÕES E ATUALIZAÇÃO SOBRE SUA ÁREA

DEMONSTRE ENERGIA, OTIMISMO E FOCO EM RESULTADOS

SEJA MAIS FLEXÍVEL EM NEGOCIAR SUA REMUNERAÇÃO

Comentários