SABER DIZER NÃO


 

Desde à infância​ aprendemos a sempre estar à disposição como demonstração de solidariedade e compromisso​

​Para algumas pessoas pode ser uma "tortura" recusar um pedido ou colocar limites nas relações. Desde a infância​ somos incentivados a sermos sociáveis pois isso isso significa ser solidário, ter compromisso estando sempre à disposição.


​Deste modo, negar o que quer que seja vai na contramão dos ensinamentos absorvidos, despertando o medo de magoar. É muito comum acreditar que declinar em relação a alguém ou algo vai decepcionar o outro e até perder o afeto. Para muitas pessoas, aceitar tudo é condição de ser amada, aceita e manter relacionamentos.

 Por outro lado, estar seguro numa relação fica mais fácil impor a própria vontade. Recusar um pedido dos pais pode ser mais fácil do que do parceiro porque os riscos de um rompimento são maiores. Mesmo com brigas e discussões, a família aceitará mais tudo​.

​Ser bonzinho, sem ser bobo​
No ambiente de trabalho é comum "engolir sapos", porque há o risco do funcionário ser mal visto ao recusar um pedido de um colega ou realizar uma tarefa. Na verdade, não deveria existir este receio de dizer não em todas os tipos de relação​. Ser solidário sempre será uma atitude louvável, mas nunca a custo de ser sentir violentado, anulando a si mesmo, sua capacidade de expressar suas ideias para agradar os outros​. Há momentos em que é possível relevar algumas coisas, mas não todo o tempo.E cabe a nós julgarmos isso.​

Aceitar todos os pedidos costuma provocar, angústia e frustração. Em geral, ocorre um arrependimento de dizer sim ficando na mente aquele sentimento desagradável por um tempo. É importante ressaltar que qualquer relação precisa ter limites, pois além da amizade, do afeto e da camaradagem, a individualidade do sujeito está em  questão. Quem consegue ser assertivo, equilibrando 'sim' e 'não' de modo geral, fica mais em paz consigo mesmo. Ser bonzinho nem sempre é ser valorizado no grupo. Posicionar-se é mostrar ao mundo que você faz escolhas sobre a sua própria vida que merecem respeito. 

Gentileza e respeito evitam conflitos​
Diante de pedidos que causam incômodo, peça um tempo para pensar antes. Um exercício sugerido é​ analisar o resultado do que vai dizer. Se aceitar, qual o impacto que isso provocará em você e no outro? Qual o preço que terá que pagar por isso? Vale a pena? Muitas vezes o clima chato que fica depois do "não" dura menos que o mal estar que faz o indivíduo se remoer por dentro ao sentir que contrariou as próprias vontades. E até mesmo, a raiva que sente ao cumprir a tarefa solicitada. 

​Importante procurar um modo respeitoso para falar. Não é preciso agredir, ofender. Tudo pode ser dito de diversas formas e até uma recusa pode ser acompanhada de uma atitude de respeito pelo outro e de uma boa dose de gentileza. Fica mais fácil compreender um "não dito de modo honesto e delicado. Se achar necessário justificar, a sugestão é mostrar que as perspectivas divergem, sem querer ditar o que é certo ou errado.

​Pode acontecer da negativa ser mal interpretada, apesar dos cuidados​. Não sabemos como a pessoas vai entender o que foi dito. Quem pede algo na certeza de que será atendido pode ficar bem aborrecido diante da negativa. No entanto, se a pessoa ficar muito incomodada e decidir romper a amizade, cabe refletir sob que bases estavam alicerçadas esta amizade e se importa mantê-la. Afinal, num relacionamento saudável, todos devem ter a liberdade de se expressar.

Regina Bomfim

Comentários

Postar um comentário

Seria ótimo saber o que você pensa, Comente...