POSTS PROGRAMADOS NO PERÍODO DE FESTAS

Photo by freestocks.org on Unsplash

Olá queridos leitores, como têm sido esta maratona de festas? Tive a ideia de fazer uma mistura de posts novos e antigos que já estão programados. Eles vão acontecer diariamente a partir do dia 19/12 até 01/01 às 8h para quem acessar diretamente o blog ou se inscrever para receber o Feed.

Quem costuma acompanhar o blog pelas redes sociais os posts de compartilhamento acontecem mais tarde quando tenho alguma pausa.

Antes de tudo, quero agradecer a você leitor pela atenção ao meu blog. É bom saber que você está aí do outro lado, que você deu uma olhadinha, saiba que pra mim isso faz toda a diferença que mesmo nesta rápida olhada, você pode ter encontrado uma frase ou uma palavra que fez diferença em alguma reflexão sua e uma semente foi plantada em sua alma. Sabe, fico muito feliz se ao menos conseguir deixar uma semente.

Evidentemente, gostaria de uma maior participação sua, que o blog crescesse, mas sinto que ele cresce no ritmo que tem que crescer. O m…

Solidão

Solidão pode causar mais males à saúde que obesidade e tabagismo
Roberta Jansen

A solidão aquela sensação ruim de ser incompreendido, de não poder
contar com ninguém, de estar só no mundo, pode causar mais males à
saúde do que a obesidade e o tabagismo, tradicionalmente ligados a
problemas cardíacos e cânceres, entre diversos outros problemas. Mas
enquanto os dois últimos são fatores de risco muito bem estabelecidos
do ponto de vista médico e aceitos pela sociedade, o isolamento social
raramente é analisado num contexto mais amplo, como potencial
detonador de doenças.


Uma nova linha de pesquisa, no entanto, coordenada pelo psicólogo Jonh
T. Cacioppo, diretor do Centro de Neurociência Cognitiva e Social da
Universidade de Chicago, sugere que somos muito mais interdependentes
do que costumamos acreditar. Para Cacioppo, "a necessidade de vínculo
social significativo, e a dor que sentimos sem ele, são
características definitivas da nossa espécie", moldados por anos de
evolução. Ou seja, o isolamento social involuntário é tão contrário a
natureza humana que pode ter um impacto devastador sobre a saúde. Não
só do ponto de vista psicológico, mas também físico.
- A solidão está relacionada ao mau funcionamento do sistema
imunológico, ao aumento da pressão senguínea, à elevação dos níveis de
hormônios do estresse, a um sono ruim, ao alcoolismo, ao uso de drogas
e mesmo a alguns tipos de demência em pessoas mais velhas - afirma
Cacioppo, em entrevistas a O GLOBO.
- Os indícios são tantos que a solidão já pode ser considerada um
fator de risco para a saúde tão serio quanto a obesidade e o
tabagismo.


O maior problema, segundo o cientista, é que a solidão é muito
estigmatizada. Ainda mais que o hábito de fumar e o excesso de
gordura.
- A solidão ainda é vista pela maioria das pessoas como uma defasagem
pessoal ou uma fraqueza - diz o especialista - E, como há esse
estigma, os afetados tendem a negá-la ou ignorá-la. Os que não sentem
solidão, por sua vez, tendem a vê-la como um problema dos outros.


Embora não seja necessariamente fácil perder peso ou parar de fumar,
há tratamentos fundamentados cientificamente para ambas condições
inteiramente aceitos pela comunidade médica e que se revelaram
eficazes em milhões de casos. Mas a solidão no entanto, pouca gente
sabe como tratar. Não se trata de uma doença propriamente, esclarece
Cacioppo. Mas de uma condição intrínseca do ser humano como a sede e a
fome.


No livro "Solidão - A natureza humana e a necessidade de vínculo
social" (Ed.Record) escrito com o jornalista William Patrick, o
cientista argumenta que o homem evoluiu para maximizar suas chances de
sobrevivência por meio da colaboração social. "Como os primeiros
humanos tinham mais chance de sobreviver quando se mantinham juntos, a
evolução reforçou a preferência por fortes laços, ao selecionar genes
que favorecem o prazer da companhia e produzem inquietude quando se
está involuntariamente desacompanhado."Em outras palavras, a
necessidade humana de companhia está marcada em nossos genes. E por
isso mesmo, é tão vital. Não por acaso, ele cita até hoje o maior
castigo imposto no sistema carcerário é o isolamento na solitária.


A intensidade da dor do isolamento, no entanto, pode variar de pessoa
para pessoa. O importante segundo Cacioppo, é encontrar um ambiente
social adequado ao seu grau de sensibilidade.
- Cerca de 50% da capacidade de sentir solidão é hereditária, mas isso
não significa que seja determinada pelos genes. Um percentual similar
está relacionado a fatores ambientais. O que parece ser hereditário,
no entanto é a intensidade da dor que cada um sente ao se ver
socialmente isolado. Há pessoas mais sensíveis e outras menos
suscetíveis - diz o cientista - O importante é estar num ambiente que
esteja de acordo com sua predisposição de sentir a dor do isolamento
social.
Quem é especialmente sensível deve priorizar o desenvolvimento e a
manutenção de relacionamentos de alta qualidade em nome de sua saúde e
do bem-estar.


Pessoas muito sensíveis por acaso expostas a situações problemáticas
como morte ou separação - podem ter problemas mais sérios. Um ciclo
vicioso pode se instalar, alterando a percepção da pessoa e fazendo
com que ela destorça as tentativas dos outros de incluí-las. As
pessoas podem se tornar cada vez mais desconfiadas, pessimistas e
isoladas. A depressão pode se instalar levando, até mesmo, a morte
prematura.
- A depressão é uma síndrome, um conjunto de sintomas que inclui falta
de prazer, falta de vontade de fazer coisas, falta de interesse pela
vida, de alegria, muitas vezes acompanhado de tristeza, insônia, falta
de apetite - explica a psiquiatra Nina Rosa Furtado, da PUC-RS.
- A solidão pode levar à depressão se perdurar por muito tempo ou pode
ser causada por ela.


Por outro lado, argumenta o especialista, a dor provocada pela solidão
é importante justamente para nos tirar do islamento social, nos forçar
a buscar companhia;
- Medicamentos não são a forma de resolver a sensação de solidão. Se
você toma remédios para não sentir dor, por exemplo, você pode acabar
se machucando sem sentir (os seus sensores de dor estão menos
sensíveis por causa das drogas), provocando sérios danos a seu corpo -
afirma Cacioppo. - Da mesma forma, se você tomar remédios para não
sentir solidão, sérá menos capaz de perceber relações sociais frágeis
e menos motivado a alterar tais conexões. Ou seja, você pode terminar
drogado e sem apoio social de que precisa para sobreviver e prosperar.


O cientista frisa que, justamente por ser parte tão fundamental da
forma de o homem se relacionar, a sensação da solidão invariavelmente
será sentida em algum ponto da vida. Isso não significa, no entanto,
que a pessoa esteja cronicamente solitária - da mesma forma, sentir
algum tipo de dor eventualmente não quer dizer que alguém sofra de dor
crônica. A solidão só é considerada crônica se perdura por meses ou
anos.



A IMPORTÂNCIA DE FICAR SÓ - Isolamento pode ser voluntário e saudável


Num mundo cada vez mais repleto de estímulos, de pessoas estressadas,
que trabalham cercadas de gente e imersas em barulho, estar só por
alguns períodos pode ser muito positivo. Psicólogos e psicanalistas
explicam que ficar só não significa estar sofrendo de solidão; muito
pelo contrário. E da mesma forma, sofre pela sensação de isolamento
pode ocorrer mesmo entre quem vive acompanhado.
- Estar só é algo que o sujeito escolhe para si, em condição de
autonomia, buscar momento para estar sozinho, para ver televisão, para
ler um livro, para não fazer nada - explica a psicanalista Mônica
Macedo da PUC-RS.


A psiquiatra Nina Rosa Furtado concorda com a colega:
- É quando você chega em casa, vê que não tem ninguém e aquilo te dá
um alívio. É que você, na verdade, está acompanhada por dentro,
repleta de objetos amorosos, de amigos, colegas, parentes - afirma -
Isso é extremamente saudável, ficar consigo, curtir uma música.


Uma situação muito diferente da solidão.
- A solidão tem uma intensidade muito maior, é relacionada ao
sentimento de não pertencer a um grupo, a uma sociedade, a um lugar. É
uma experiência de desamparo, de sentir incapaz de estabelacer
vínculos com outras pessoas e de desfrutar das coisas que estes
vínculos trazem - Afirma Mônica.


Por outro lado é possível sentir solidão mesmo quando se está acompanhado.
- Pessoas que constituem família não são necessariamente mais felizes.
Assim como viúvas podem não viver na solidão. Uma das coisas mais
importantes no desenvolvimento emocional é adquirir a capacidade de
ficar só.

Fonte: Jornal O GLOBO Caderno Saúde - 27/03/2011

Comentários

  1. Oi:

    Interessante o blog!
    O encontrei ao procurar pela profissional NINA ROSA FURTADO... Ela é ótima mesmo.
    Sobre um comentário de que A SOLIDÃO SERIA PIOR QUE OBESIDADE E TABAGISMO - acho que tais podem estar relacionados; pois quando NÃO SE ESTÁ BEM TENDE-SE A COMER E FUMAR!
    Acho que o pior destes seria o TABAGISMO: além de incomodar outros que não tem nada a ver com o 'fumante ativo'...
    Também sou do Rio, só que resido no RS: onde assisto à entrevistas/programas com a Sra . Nina R. Furtado (até já troquei e-mails com ela!)...
    Viver bem/ter saúde: uma coisa até simples, todos deveriam ter - só que se encontra escassa muitas vezes!
    Boa sorte aí nos seus trabalhos/ensinamentos; tens uma das carreiras mais brilhantes que existem...

    Abraço,
    Rodrigo O. Rosa

    zip-mail@zipmail.com.br

    ResponderExcluir
  2. Pois é Rodrigo, compulsões que podem ser motivadas pelo desejo de compensar algo. São os atalhos criamos... Só que isso acaba tendo um preço.
    Obrigada pela sua atenção
    Regina Bomfim

    ResponderExcluir
  3. Eu sou solitário, mto solitário. Mas não culpo as pessoas apenas, creio que eu tenha metade da culpa em ser solitário, pois sou mto sensível e acima de tudo, justo.
    Estou pagando o preço de ser uma pessoa correta e averso à hipocrisia, porém eu creio que é melhor ser um homem melhor solitário do que um homem pior com mtos amigos.
    Quais seriam os assuntos indispensáveis numa roda de amigos? Falar da vida dos outros, criticar pessoas, fofocar, isso td domina a maior parte das conversas!
    É uma imensa dificuldade para pessoas como eu poder interagir sem ser ferido e iludido, ainda mais numa época em que a integridade é desvalorizada e todos querem puxar o tapete.

    ResponderExcluir
  4. Então você vê a solidão como necessária para enfrentar a hipocrisia?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seria ótimo saber o que você pensa, Comente...