UM PAPO SOBRE ECONOMIA

Photo by Olu Eletu on Unsplash
Será que para ter afeto, se sentir respeitado, você precisa abrir mão de si mesmo? Será que na economia dos sentimentos acaba sempre sendo um preço muito caro a ser pago?

Regina Bomfim



CUIDADO: UM EXERCÌCIO









O que entender por cuidado?

"A palavra "terapêutica" deriva do grego therapeo, que significa eu cuido. Na Grécia antiga, o therapeuter  era aquele que se colocava próximo do doente e compartilhava a experiência da doença do enfermo para compreendê-la e, então mobilizar seus conhecimentos para cuidar da pessoa. Para tanto, ele considerava a integralidade da vida do doente, inclinando-se para ouvi-lo e examiná-lo. Essa inclinação (klinos, emgrego, termo do qual deriva a palavra clínica) significava também reverência e respeito ante o sofrimento do outro". Isto é dito por Leo  Pessini, um religioso da ordem de São Camilo de Lellis - santo católico que dedicou sua vida ao cuidado dos doentes, sendo considerado o padroeiro dos enfermos. Os religiosos desta ordem são chamados Camilianos e se empenham neste mesmo cuidado e reflexão sobre temas ligados à saúde.

Quero como psicóloga, que também é um profissional da área de saúde e também um cuidador no que se refere às questões emocionais, saber me inclinar com cada vez mais mais compreensão dos saberes relativos ao meu ofício, mas sobretudo com  afeto e respeito ao tocar o mundo do outro, considerando não apenas os sintomas, mas a integralidade deste ser que não é só dor e devastação, mas também vitórias e belezas. Como psicóloga que eu seja capaz de estender a mão sabendo que é um gesto temporário e que a grande beleza sempre será o vôo, esse perfume que brota e se espalha fluindo da essência do outro. Como psicóloga eu possa aprender com esses encontros e desencontros sabendo que cuidar de mim é sempre o primeiro passo... Aprender, aprender...

Regina Bomfim



Comentários