Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2015

O PASSADO: A GENEROSODADE QUE NÃO NOS DAMOS PARA SEGUIR ADIANTE

Imagem
Habitualmente, a pessoa que se equivocou lamenta a ocorrência, o passado, ou faz uma consciência de culpa, afligindo-se perturbando-se.

O passado,porém já aconteceu, e os seus alicerces não podem ser ignorados, nem evitados. Cabe a cada um diluí-los, erradicá-los.
Uma análise tranquila das ocorrências infelizes desperta a consciência para encontrar meios de diminuí-lhes as consequências, criando condições propiciatórias para um futuro mais equilibrado, através das oportunidades e realizações presentes.
Cada instante se podem produzir fenômenos salutares que se alongarão em cadeias de acontecimentos ditosos..
Qualquer indivíduo que se envolveu em passado próximo, em problemas e erros, certamente gerou também simpatias e agiu corretamente. Ninguém há destituído de valores positivos e conexões emocionais generosas 
Joanna de Ângelis

A ERA DO CONFORMISMO

Imagem
Conformar-se exageradamente adultera a imagem de si próprio
"Encontram-se na Bíblia as afirmações: 'Somos membros uns dos outros' e 'se uma casa está dividida contra si mesma, não poderá ficar de pé'.
Estes sábios comentários nos dizem porque uma medida básica de conformidade é essencial à continuação da vida civilizada, segundo a conhecemos.
A conformidade exagerada que faz demasiadamente parte da vida moderna é inteiramente diferente. Constitui sacrifício da identidade individual quando tal sacrifício não importa em qualquer objetivo proveitoso.
Quem se conforma demasiado distorce a imagem de si próprio. Deixa-se de reconhecer a si mesmo porque procura constantemente agradar aos outros. Procurando constantemente a aprovação dos outros quando não precisa, curvando-se para aliviar a ansiedade, altera-se a forma das qualidades únicas que o tornam indivíduo.
A fim de ser feliz, é preciso dispor de áreas em que seja possível exprimir a própria singularidade sem temor de p…

INVESTIMENTO EM PESSOAS: ALGO QUE NUNCA SE PERDE

Imagem
A pesquisa do GPTW reforça por meio de indicadores a importância de se investir na gestão de pessoas, trazendo elementos tangíveis e objetivos para a tomada de decisão dos líderes
Entrevista: Paulo Sardinha, presidente da ABRH-RJ
fonte: Boa Chance
As empresas que aproveitarem o momento de crise para investir na gestão e na qualificação de pessoas estarão na frente quando a economia voltar a crescer. A opinião é do presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos do Rio de Janeiro (ABRH-RJ), Paulo Sardinha, que ressalta: as dificuldades são encaradas como oportunidades em companhias reconhecidas pelo bom gerenciamento do seu quadro funcional.
Nessa entrevista, ele fala sobre o impacto no ambiente corporativo dos resultados da pesquisa "Melhores empresas para se trabalhar  no Rio", elaborada pelo  Instituto Great Place to Work (GPTW), e a crescente valorização dos departamento de RH nas empresas. Para Sardinha, cada vez mais gestores comprovam que o cuidado com as pessoas…

DAR E RECEBER FEEDBACK

Imagem
Costuma ser um momento tenso para profissionais de todas as áreas e níveis hierárquicos. Não é só o temor de ser avaliado, mas quem precisa comentar sobre o desempenho também está sob pressão.


POR UMA SOCIEDADE DO BEM-ESTAR

Imagem
Ser e ter – rumo à sociedade do bem-estarMaria Tereza Maldonado "Como uma de nós poderia ficar feliz se todas as outras estivessem tristes"? A criança africana deixou o antropólogo desconcertado ao constatar como essa comunidade vive a prática do Ubuntu, uma filosofia humanista sul-africana, um código de ética baseado no altruísmo, na generosidade e na cooperação. Bem diferente das sociedades nas quais predominam o individualismo e a competição, em que muitos pensam "quanto mais eu tenho, mais eu sou". Ubuntu significa "eu sou porque nós somos".

A MULHER E OS DESAFIOS ATUAIS: PSICOLOGIA COMO RESSONÂNCIA DO MUNDO

Imagem
Obs: Não sou a favor do aborto, mas como psicóloga cabe a mim acolher e respeitar quem chegar com este histórico vendo o ser total (si mesmo, relação com outras pessoas e o mundo) procurando favorecer a expressão dos sentimentos e sua compreensão, seja de que natureza for. O blog PSICOLOGIA EM FOCO não poderia deixar de trazer algo que retratasse reflexões destes últimos e marcantes acontecimentos.

'É importante não permitir que direitos conquistados retrocedam'.
Entrevista Antonia Pellegrino, Alessandra Orofino e Manoela Miklos
Elas ditaram o tom das últimas semanas. Mulheres falaram do primeiro assédio fizeram manifestações contra o Projeto de Lei 5.069 e provocaram o debate na sociedade. Nesta entrevista, a escritora e a roteirista Antonia Pellegrino, a doutora em Relações Internacionais Manoela Miklos e a economista Alessandra Orofino, diretora executiva da Rede Nossas Cidades, falam da participação na ação #AgoraÉQueSãoElas, iniciada por Manoela

O HOMEM E A MODERNIDADE: ENTRE O CONHECIMENTO E A PERPLEXIDADE

Imagem
"É chocante mas é verdadeiro, que hoje conhecemos melhor o átomo que a mente que conhece o átomo".
Dr. J. B. Rhine

VOCÊ DÁ IMPORTÂNCIA ÀS SUAS FÉRIAS?

Imagem
Brasileiros não tiram os 30 dias de férias

Fonte: Boa Chance

Segundo pesquisa, média de descanso é de 24 semanas

Tirar um período de descanso todos os anos, religiosamente não faz parte da vida de muitos brasileiros. Uma pesquisa divulgada pela Catho constatou que mais de um terço dos trabalhadores afirmam não ter tirado férias nos últimos 12 meses.

ALIADO DA MENTE : ATIVIDADE FÍSICA

Imagem
Exercício físico melhora as funções do cérebro e ajuda no tratamento de doenças como Alzheimer
Por Ana Lúcia Azevedo Fonte : O Globo

O poeta romana Décimo Júnio Juvenal, a quem é atribuída a máxima "Mens sana in corpore sano" (Mente sã num corpo saudável) não pensou no tratamento de doenças neurológicas e psiquiátricas quando a escreveu. Juvenal estava mais interessado em criticar aqueles que rogavam aos deuses por coisas tolas em vez de orar por uma boa saúde. Mas a vanguarda de estudos de neurociência mostra que ele foi involuntariamente profético. Hoje, exercícios físicos começam a ser incluídos no tratamento de pessoas com doenças neuropsiquiátricas, como o mal de Alzheimer e a síndrome do pânico. E os resultados são animadores.